NETININS

Dado, dedicado. As traduções dizem ‘levitas servidores’ ou ‘servidores do templo’. Eram pessoas consagradas ao serviço do tabernáculo e do templo, empregando-se nos trabalhos mais humildes, como acarretar água e madeira. Primeiramente foram os midianitas os destinados a este ofício (Nm 31.30, 47) – depois os gibeonitas (Js 9.27) – e mais tarde coube essa tarefa aos cananeus.

Eles eram obrigados a conformar-se com a religião dos seus conquistadores. Em tempos posteriores eram escravos os que Davi e Salomão e outros príncipes destinaram para o serviço do templo (Ed 2.58 – 8.20). os netinins foram levados cativos com a tribo de Judá, sendo grande número deles colocados em lugares próximos do mar Cáspio. Mais tarde Esdras trouxe dentre estes 220 para a Judéia (Ed 8.17,20). os que vieram com Zorobabel eram 392 (Ne 3.26).

Até esse tempo haviam sido os netinins uma casta desprezível e sujeita – mas, depois do exílio, em virtude da grande procura de pessoas para os serviços que eles prestavam, sendo pequeno o número de netinins que pudessem desempenhar essa função, eram consideravelmente encarecidos os seus trabalhos. os netinins, com os sacerdotes e os levitas, eram isentos da taxa imposta pelos sátrapas da Pérsia (Ed 7.24). Eles estavam sob a inspeção de um chefe escolhido da sua própria gente (Ed 2.43 – Ne 7.46).

Tomaram parte ativa na reedificação de Jerusalém (Ne 3.26) – e a alguns deles foi dada para sua residência a torre de ofel, lugar conveniente pela sua proximidade do templo (Ne 11.21). outros, porém, habitaram com os levitas nas suas cidades (Ed 2.70). Nas crônicas do tempo o seu lugar era pela sua ordem em seguida aos levitas (1 Cr 9.2).